terça-feira, junho 26, 2007

2º BIMESTRE: GRÉCIA 3


PERÍODO ARCAICO

(SÉCULO VIII A vi a.C.)

-->>Podemos dizer que o período Arcaico é o momento em que a Grécia começa a se abrir para o mundo. Comércio, colonização de novos territórios permitem que parte do excedente populacional seja mandado para fora da Hélade, em contrapartida, começam a chegar produtos diversos, como cereais e escravos, além de tributos.

***AS COLÔNIAS: As cidades e assentamentos agrícolas fundados em virtude da 2ª Diáspora Grega estavam ligados por laços culturais às suas cidades de origem, mas eram independentes. Tendo sido patrocinadas por Estados e/ou particulares, tinham às vezes, alguns deveres a cumprir em relação aos seus fundadores. A Diáspora também intensificou o comércio no mar Egeu e no Mediterrâneo e colocou os gregos em contato com outras culturas mais antigas (Mesopotâmia, Síria, Egito, Índia, etc.).

***FRATRIAS E DEMOS: Com a desagregação dos genos, o poder passou a ser exercido pelos bem-nascidos, os aristói (melhores), aristocracia dona de terras que dominava a sociedade. A população aparentada se reunia em fratrias, várias fratrias juntas formavam uma tribo, e várias tribos juntas formavam o chamado demos. Demos, em grego quer dizer povo, sendo essa palavra a raiz do termo Democracia.

***ORGANIZANDO A PÓLIS [1]: As tribos se fixavam na região mais alta do relevo, chamado de Acrópole. Ali, fortificavam as defesas e construíam o palácio do basileu e os prédios mais importantes. O basileu (rei) era chefe político, militar e religioso. Seu poder se assentava na aceitação por parte dos outros membros da aristocracia. As pessoas construíam suas casas de acordo com sua condição social, os mais ricos e importantes, perto da Acrópole, os demais nas regiões mais baixas. As cidades gregas integravam a vida urbana e a rural, era, portanto na Ágora, grande praça, que todos se reuniam para comprar e vender seus produtos agrícolas, pastoris e artesanais. Era na Ágora também que o povo se reunia para as suas assembléias, mesmo que nesse momento o poder ainda estivesse nas mãos somente da aristocracia. O que estamos delimitando aqui é o que os gregos chamam de pólis, cidade-estado.

***O DRAMA DOS CAMPONESES: O período Arcaico foi marcado pelo domínio da aristocracia rural, esta tinha as melhores terras, definia os preços, controlava a justiça. Aliás, as leis em geral não eram escritas e os juízes, aristocratas. Os camponeses não podiam competir com os aristocratas, portanto, seus preços eram mais altos. Como não conseguiam vender, se endividavam, perdendo suas terras e muitas vezes a liberdade. Se procuravam justiça geralmente eram prejudicados porque não tinham como subornar os juízes. Um dos grandes autores gregos da época, Hesíodo, chamava os juízes de "reis comedores de presentes".

***AS PRINCIPAIS PÓLIS: A pólis era uma unidade política, cultural, econômica e religiosa, que integrava o mundo rural e o urbano, sendo, em geral, independente. As principais pólis da Antigüidade foram: Atenas, Esparta, Corinto, Tebas, Olímpia, Mileto e Argos.


[1] “A cidade – pólis, em grego – é um pequeno Estado soberano que compreende uma cidade e o campo ao redor e, eventualmente, alguns povoados urbanos secundários. A cidade se define, de fato, pelo povo – demos – que a compõe uma coletividade de indivíduos submetidos aos mesmos costumes e unidos por um culto comum às mesmas divindades protetoras.” (FUNARI, Pedro Paulo. Grécia e Roma. São Paulo: Contexto, 2001 p. 25.)

Nenhum comentário: